um blog que discute o Rio e o Brasil


Seja bem vindo! Deixe um Comentário.


domingo, 16 de fevereiro de 2014

O Legado de Jorge Wilheim (1928-2014)

Nabil Bonduki, arquiteto e vereador na cidade de São Paulo, comenta no texto em que homenageia Jorge Wilheim, arquiteto e urbanista, publicado neste domingo na Folha, que dois dias antes do acidente que o vitimou, Wilheim o procurou na Câmara de Vereadores com contribuições para a revisão do Plano Diretor de São Paulo. Longe da aposentadoria, Wilheim coordenava inúmeros projetos entre os quais o plano urbanístico para a Jacu Pêssego de importância vital para São Paulo.

Nabil lembra ainda a participação fundamental de Jorge Wilheim no Seminário de Habitação e Reforma Urbana promovido pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil, em Petrópolis, Rio de Janeiro, em 1963. Wilheim foi quem redigiu o documento final que propôs uma política habitacional articulada com a reforma urbana, instrumentos para combater a especulação imobiliária e a criação de um conselho nacional de habitação com representação da sociedade.

Wilheim enquanto secretario adjunto da Conferência das Nações Unidades para os Assentamentos Humanos - Habitat II, realizada em 1996, em Istambul, contribuiu para a abertura do evento á sociedade civil. Isso fez com que a partir de então a participação da sociedade se tornasse uma parte constitutiva do urbanismo.

Nabil também relata a colaboração estreita que manteve com Wilheim na formulação, elaboração e aprovação do Plano Diretor Estretégico de São Paulo, em 2002, na gestão de Marta Suplicy. Jorge Wilheim era secretario de planejamento e Nabil Bonduki em seu primeiro mandato como vereador foi o relator do projeto de lei, que aprovado fez com que São Paulo se tornasse a primera cidade a ter um plano diretor que incorporava os instrumentos do Estatuto da Cidade. 

Atualmente o plano diretor de São Paulo encontra-se em processo de revisão na Câmara de Vereadores e busca aprofundar os principios que Wilheim sempre defendeu.

Wilheim sempre acreditou no planejamento e no planejamento urbano como instrumento de transformação. Suas propostas urbanísticas expressas em planos, livros, artigos e palestras nos inspiram a dar continuidade à dificl tarefa de construir cidades melhores e mais justas, conclui Bonduki.

http://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2014/02/1412883-nabil-bonduki-o-legado-de-jorge-wilheim-1928-2014.shtml